Coisas da Chapada Diamantina

8 curiosidades sobre o Vale do Pati

Por Luísa Ferreira – Blog Janelas Abertas

  1. Vários caminhos levam ao Pati

O Vale do Pati tem três principais acessos, que podem ser usados pra começar e terminar a trilha: Guiné (distrito de Mucugê), Andaraí e Vale do Capão (distrito de Palmeiras). Dentro do vale, é possível fazer diferentes percursos, passando a partir de dois dias. O mais comum é fazer roteiros de três a cinco dias. Quantos mais tempo você passar na região, mais atrações vai poder conhecer.

  1. Cerca de 3 mil pessoas já viveram no vale

Hoje em dia, pouco mais de 10 famílias vivem no Vale do Pati, e elas obtêm a maior parte da sua renda do turismo. Mas na época do auge da mineração de diamantes e da produção cafeeira na região, cerca de 3 mil pessoas chegaram a morar ali. O vale já teve escola, igreja e prefeitura, que hoje são usadas pra receber os visitantes.

  1. Tudo que chega e sai é carregado por mulas ou pessoas

O Vale do Pati não pode ser acessado por veículos motores, como carros ou motos, então tudo que chega e sai de lá (comida, móveis e até lixo) é carregado por pessoas a pé, ou levado no lombo de mulas. Por isso mesmo, os visitantes devem levar de volta todo lixo seco que tenham levado consigo para o vale.

  1. A principal fonte de energia é solar

As acomodações para trilheiros no Vale do Pati são organizadas e a comida servida é deliciosa, mas não vá esperando água quente no banho. As casas por lá usam como principal fonte de energia o sol, através de placas fotovoltaicas instaladas nos seus telhados. Essa energia é suficiente para carregar celulares e câmeras fotográficas, enquanto as geladeiras são a gás.

  1. O Morro do Castelo nem sempre foi chamado assim

Considerado um dos trechos mais difíceis e mais recompensadores da travessia do Pati, o Morro do Castelo foi batizado assim pelos visitantes, que achavam que ele parecia com um castelo. Originalmente, seu nome é Morro da Lapinha, com os patizeiros ainda o conhecem.

  1. O Cachoeirão é a segunda maior cachoeira da Chapada

Com quase 300 metros de altura, o Cachoeirão é a segunda maior cachoeira da Chapada Diamantina. Ela só fica atrás da Cachoeira da Fumaça, que chega a 360 metros. Em épocas de chuva, o Cachoeirão pode ter mais de 20 quedas d’água.

  1. Tem forró no vale

Muitos dos filhos de Dona Raquel, uma das patizeiras mais conhecidas, trabalham com ela recebendo visitantes. E além de cozinhar e cuidar de alojamentos, eles são ótimos em entretenimento. Seu filho João, por exemplo, comanda um bar próximo à casa da mãe com ótimos drinques de cachaça, além de ser um excelente sanfoneiro. Junto com os irmãos, ele forma o grupo de forró pé-de-serra “Filhos de Raqué”, que faz a alegria dos visitantes no São João, Carnaval e Réveillon.

  1. É preciso desconectar-se

Não existe sinal de telefone no Vale do Pati. Os guias se comunicam com os nativos por rádio, a partir de alguns lugares em que conseguem recepção. Alguns moradores têm internet via satélite, mas por questões práticas ela não está disponível para uso dos visitantes. Por isso, aproveite: seus dias no Vale do Pati são uma ótima oportunidade para desconectar-se e viver o momento em meio à natureza!

 

Pacotes com Transfers

Chapada Diamantina: considerada um dos ecossistemas mais ricos do mundo

Escolha seu Pacote Agora


CADASTUR é o Sistema de Cadastro de pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor do turismo

Certificado de Excelência

Chapada Adventure Daniel Certificado de Excelência2016Certificado de Excelência2017Certificado de Excelência2018Certificado de Excelência2019


Central de Atendimento

Chapada Adventure Daniel CHAPADA ADVENTURE DANIEL - CNPJ 15.642.280/0001-09
Praça Horácio de Matos, n° 114, Centro, Lençóis - Chapada Diamantina - Bahia -Brasil
CHAPADA ADVENTURE DANIEL © 2019. Todos os direitos reservados.